novo

Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro recebe mostra “A Comunicação e a Sociedade”


Pavilhão de Exposições Temporárias (Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro).jpg.

O Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro, que fica dentro do Parque da Cidade, na Gávea, exibe a partir do dia 15 de maio, terça-feira, a exposição A Comunicação e a Sociedade. A mostra faz parte da comemoração pela 16ª Semana de Museus, temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus, em homenagem ao Dia Internacional de Museus (18 de maio), e que tem como tema deste ano “Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”.

O Museu presenteia seu visitante com uma breve reflexão sobre a evolução dos meios de comunicação e suas formas de utilização no século XIX. O visitante entrará em contato com objetos que remontam a comunicação da sociedade antes do meio virtual. Em um mundo globalizado onde a comunicação precisa ser eficaz e rápida, receber uma correspondência, via postal, é algo considerado, por muitos, “obsoleto”.

Além da mostra A Comunicação e a Sociedade, o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro exibe, também, até setembro, as mostras Imagens do Rio Oitocentista e Os Múltiplos Olhares de Augusto Malta.

A exposição Imagens do Rio Oitocentista, localizada no 3º andar do Pavilhão de Exposições Temporárias, presenteia o seu visitante com uma viagem pelo Rio antigo. Reunindo gravuras de desenhistas, aquarelistas, pintores e fotógrafos, a mostra apresenta a cidade de outrora, permitindo a visitação de seus espaços e construções, alguns dos quais não resistiram às mudanças do tempo como, por exemplo, o prédio da Academia de Belas Artes. É possível ir do terraço do Passeio Público aos Arcos da Lapa; de São Cristóvão ao Jardim Botânico. São registros do Rio de Janeiro e de cenas do seu cotidiano, captadas e apresentadas por artistas residentes ou de passagem pela urbe carioca do século XIX. Seja pelo olhar de Maria Graham, de Victor Frond e de tantos outros.

Já a mostra Os Múltiplos Olhares de Augusto Malta, localizada no 1º e 2º andar do equipamento, é composta por 48 imagens e objetos, divide-se em dois eixos: locais, vistas e paisagens; e solenidades e cotidiano, remetendo as memórias da nossa cidade e de sua gente. Pelas lentes de Augusto Malta, a mostra permite uma conexão com o passado e a reconstrução da história do Rio de Janeiro.

A gestão e produção é assinada pela Arte Cultura Gestão & Produção Cultural.

Sobre o MHCRJ

O Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro/MHCRJ foi criado como reflexo da expansão dos museus no século XIX e suas origens estão ligadas ao princípio da República no Brasil e ao papel de centro político que o Rio de Janeiro representava nesse contexto.

Desde 1891, as autoridades do governo recém-instalado manifestavam preocupação em recolher objetos representativos, que interessassem à história da cidade. Contudo, sua criação só ocorreu na administração do Prefeito Pedro Ernesto através do Decreto Nº 4989 de 11 de julho de 1934.

O MHCRJ sempre mostrou uma tendência a manter-se nos limites de seu objeto: a cidade do Rio de Janeiro. Entretanto, seu vasto acervo documental, arquivístico e museológico, com cerca de 24.000 peças, que significa um importante registro sobre a cidade do Rio de Janeiro e que abrange diferentes categorias, apresenta caráter nacional. Nele encontram-se também obras de artistas consagrados como Visconti, Thomas Ender, Antônio Parreiras, Armando Vianna, Augusto Malta e Marc Ferrez, além dos acervos dos prefeitos Pereira Passos, Pedro Ernesto, Carlos Sampaio e César Maia.

Ao pensarmos num museu de cidade, afora o aspecto cultural, vem a lembrança a questão daquela cidade onde está inserido, o espaço urbano, a memória e a importância do museu para a cidade, por ser o único que tem como propósito preservar e conservar a memória da cidade, que foi capital da colônia, império e república, através do seu acervo e principalmente ser um ponto de referência e discussão das transformações culturais, sociais, econômicas e urbanas da cidade do Rio de Janeiro ao longo de sua história.

O MHCRJ, por meio de um acervo artístico e documental acessível a todos, é um museu em que nossa história e nossa identidade urbana podem ser analisadas e explicadas.

Serviço:

Mostra A Comunicação e a Sociedade (exibição de 15/5 até 8/6)

Mostras Imagens do Rio Oitocentista e Os Múltiplos Olhares de Augusto Malta (exibição até 29/9)

Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro: Estrada Santa Marinha s/nº. Parque da Cidade. Gávea. RJ.

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h. Funciona nos feriados.

E-mail para agendamento de visitas monitoradas: [email protected]

Entrada gratuita. Classificação livre.

Site: http://museudacidadedorio.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/MuseuHistoricodaCidadeRJ/

Fonte: Roberta Mattoso – Roma In Press, [email protected] em 14/05/2018.