novo

9º FESTLIP Apresenta Projeto Teatral Multinacional Inédito no Mundo e Ganha sua Primeira Edição Fora do País em Janeiro de 2018.


O diretor brasileiro Paulo de Moraes encena A terceira margem do rio de Guimarães Rosa, com oito atores de oito países lusófonos, com parte dos ensaios realizados à distância, no ano em que a conectividade é a temática do festival

FESTLIP terá desdobramento em Portugal com nova montagem de A vida como ela é, de Nelson Rodrigues, em coprodução com o Teatro da Garagem

Depois de se tornar o primeiro festival internacional de teatro a reunir todos os países lusófonos, criar um site inédito com dramaturgia em língua portuguesa – www.portaldlip.com  e promover coproduções entre artistas e companhias internacionais, o FESTLIP – que amplia seu escopo e passa a se chamar Festival Internacional das Artes da Língua Portuguesa –, apresenta outro projeto pioneiro em sua nona edição, que acontece, gratuitamente, entre 13 e 23 de dezembro, com patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal e apresentação e realização da Talu Produções. Pela primeira vez, uma montagem teatral reunirá oito atores das oito nacionalidades que falam português, com a maior parte dos ensaios realizados à distância.

Publicado originalmente em 1962, no livro Primeiras Estórias, o conto A Terceira Margem do Rio, de Guimarães Rosa, sobre um homem que deixa família e amigos para viver isolado em uma canoa no meio de um rio, foi o texto escolhido pelo diretor brasileiro Paulo de Moraes para o projeto inédito. A montagem terá quatro ensaios presenciais, após outros 25 realizados por meio digital, e será o destaque da programação teatral. As apresentações acontecem na Casa de Cultura Laura Alvim, que abriga a maior parte dos eventos, incluindo uma mesa de debates com os oito atores; a peça portuguesa Solange – Uma conversa de cabeleireiro, da Cia Nómada Art & Public Space; o FESTLIPshow, que recebe a festa Disritmia; as oficinas infantis do FESTLIPinho e uma exposição de poesia com estátuas humanas. A exceção é a premiada peça Kiwi, com direção de Lucianno Maza, que será apresentada no Teatro SESI Centro. Paralelamente, o restaurante Zazá Bistrô sedia mais uma vez a mostra culinária FESTGourmet, apresentando um prato tradicional brasileiro e uma sobremesa com temperos típicos dos países participantes.

O grande homenageado deste ano é o diretor, ator e gestor cultural João Branco, fundador do Festival Mindelact, criado há 23 anos na cidade de Mindelo, em Cabo Verde. Filho de pais portugueses, João nasceu em Paris e radicou-se em Cabo Verde em 1991. Desde então, tornou- se um nome incontornável do teatro daquele país, tendo encenado mais de 50 espetáculos em pouco mais de três décadas de carreira, grande parte na ilha africana. Mestre em Artes Cênicas e Doutor em Artes, Comunicação e Cultura pela Universidade do Algarve, João escreveu diversas obras sobre o teatro cabo-verdiano, em especial Nação Teatro – História do Teatro em Cabo Verde, de 2004, considerada a mais importante sobre o assunto do país.

A conectividade estará também presente na abertura para convidados, no dia 13. Os diretores José Mena Abranches, de Angola, e Gilberto Mendes, de Moçambique, participam da cerimônia, por telão, em tempo real, interagindo com os presentes. No dia seguinte, uma edição do evento será transmitida online para as emissoras internacionais TPA Angola e TV Gungu Moçambique.

Em janeiro de 2018, o FESTLIP, que soma um público de mais de 280 mil pessoas desde sua criação, estabelece mais um importante marco ao se tornar o primeiro festival brasileiro, em língua portuguesa, com desdobramento em outro país. De 11 a 21 de janeiro, uma nova montagem da peça A vida como ela é, de Nelson Rodrigues, será apresentada em Lisboa, em uma coprodução entre o festival e a companhia portuguesa Teatro da Garagem, com elenco exclusivamente feminino. E no dia 13 do mesmo mês, uma mesa de debates reúne na sede da companhia todos os diretores portugueses que já participaram do FESTLIP Miguel Seabra (Teatro Meridional), João Motta (Teatro Comuna), Carlos J. Pessoa (Teatro da Garagem), Rodrigo Francisco (Teatro Municipal de Almada), Noelia Domínguez (Peripécia Teatro) e Nuno Pina Custódio (ESTE – Estação Teatral) – com mediação da atriz e diretora da Talu Produções Tânia Pires, idealizadora e produtora do festival, para falar da integração e difusão das artes de língua portuguesa no mundo: “Estamos dando um importante passo para estreitar ainda mais os laços culturais dos oito países que integram a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). Além da experiência inédita da peça com elenco multinacional, que reúne culturas, escolas e vivências tão distintas, unidas pela língua em comum, esse desdobramento do FESTLIP em Portugal sedimenta ainda mais o intercâmbio entre os oito países lusófonos, que é o propósito maior do festival”, comemora Tânia.

Outras duas peças compõem a programação teatral deste ano. Com texto do canadense Daniel Danis, Kiwi ganhou montagem brasileira do Projeto Grande Elenco, com tradução e direção de Lucianno Maza, e fala da história de uma jovem que luta pela sobrevivência nas ruas às vésperas dos Jogos Olímpicos. O espetáculo, com Nathalia Kwast e Lucas Lentini, foi premiado em São Paulo com o Aplauso Brasil e indicado a outros dois prêmios, e será apresentado nos dias 14 e 15 de dezembro, no Teatro SESI Centro. De Portugal, a Cia Nómada Art & Public Space traz Solange – Uma conversa de cabeleireiro, sobre uma cabeleireira que encontra na poesia de autoras brasileiras e portuguesas uma maneira de ver o mundo, enquanto faz um paralelo entre os dois ofícios. Encenada por Susana Madeira, que assina a criação com o diretor Hugo Cruz, a peça ocupa o Teatro Rogério Cardoso, na Casa de Cultura Laura Alvim, também na quinta (14) e sexta (15).

Na Vitrine Cultural, Tânia Pires será a mediadora da mesa de debates No palco: conexão virtual da língua portuguesa em oito sotaques, que reúne os oito atores que encenam A Terceira Margem do Rio Leonardo Miranda (Brasil), Suelma Mario (Angola), Lisa Reis (Cabo Verde), Horácio Guiamba (Moçambique), Susana Vitorino (Portugal), Willian Ntchalá (Guiné-Bissau), Joi Bonfim (São Tomé e Príncipe) e Carvarino Carvalho (Timor Leste) –, para falar da experiência inédita da arte através da conectividade.

A exposição deste ano inova ao trocar os tradicionais suportes da fotografia e vídeo das edições anteriores por duas estátuas vivas. Seguindo o mote desta edição, a mostra A vida conectada com a poesia depende da interação do público para acontecer. É preciso jogar uma ficha com o nome de um dos oito países participantes para tirar o artista do estado de imobilidade e ler uma poesia de um autor do país escolhido.

No sábado (16) à noite acontece o FESTLIPshow, em parceria com a festa Disritmia. Comandada pela DJ Lili Prohmann, a festa se notabilizou por abrir mão dos clássicos de sempre para dar vez ao lado B da música brasileira, resgatando músicas dançantes de artistas consagrados ou menos conhecidos, que dão forma a um repertório inusitado de vários cantos e ritmos do país.

Para encerrar a programação cultural, o FESTLIPinho leva para o teatro da Casa de Cultura Laura Alvim no domingo à tarde a oficina infantil Jogos e viagens pelos países da língua portuguesa, ministrada pela arte-educadoras Eliza Morenno e Kika Farias. A atividade mistura jogos de países como Brasil, Angola, Cabo Verde e Moçambique, contos e histórias luso-brasileiras e termina com a confecção de um brinquedo popular brasileiro.

Durante todos os dias do FESTLIP, o Zazá Bistrô recebe mais uma vez a mostra culinária FESTGourmet. Criada pelo chef Juarez França, a Conexão dos Paladares é a recriação de um prato e uma sobremesa tradicionais do Brasil com temperos típicos dos oito países participantes. A estrela do menu é a Feijoada Além Mar, uma versão do famoso prato que ganha sabores inusitados ao levar temperos de cada uma das nações lusófonas. Para a sobremesa, o pudim de leite e tapioca com calda de especiarias destas regiões fecha o menu do festival.

Apresentado e realizado pela Talu Produções, o FESTLIP tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal e apoio institucional do Ministério da Cultura do Brasil, Secretaria de Estado de Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura; Ministério de Relações Exteriores do Brasil; Embaixada de Portugal no Brasil; Instituto Camões; CPLP – Comunidade dos Países da Língua Portuguesa; SESI Cultural e Sistema FIRJAN; FUNARJ; Casa de Cultura Laura Alvim, Zazá Bistrô e Rádio Oficial Paradiso FM.

ATRAÇÕES FESTLIP 2017

Toda a programação tem ENTRADA FRANCA MOSTRA INTERNACIONAL (CONTEÚDO)

Espetáculo A Terceira Margem Do Rio, de Guimarães Rosa Local: Teatro Laura Alvim, na Casa de Cultura Laura Alvim Horário: 20h

Sinopse: Um homem de meia-idade deixa sua família e amigos para viver isolado em uma canoa no meio de um rio, na região central do Brasil, e jamais volta a pisar em terra firme.

Seu único contato com as pessoas acontece através de seu filho Liojorge, que lhe deixa comida na margem do rio. Os anos se passam e a filha Rosário casa com um rapaz da região e vai morar na cidade. O filho também casa, mas decide permanecer com a mãe e continuar levando diariamente a comida para o pai invisível. Quando nasce Nhinhinha, a filha de Liojorge, e que tem poderes mágicos, o rapaz resolve levá-la até a beira do rio para apresentá-la ao pai.

Ficha técnica:

Direção: Paulo de Moraes Texto: Guimarães Rosa

Elenco: 08 (oito) atores, um de cada país da CPLP.

Leonardo Miranda – Brasil; Suelma Mario – Angola, Lisa Reis – Cabo Verde, Horácio Guiamba –Moçambique; Susana Vitorino – Portugal; Willian Ntchalá – Guiné Bissau; Joi Bonfim – São Tomé e Príncipe e Carvarino Carvalho – Timor Leste

Música: Ricco Viana Iluminação: Valmyr Ferreira

Produção e idealização: Tânia Pires Realização: Talu Produções

Data: 14 de dezembro – 5ª. Feira

Espetáculo Solange – Uma conversa de cabelereiro, da Cia. Nómada Art & Public Space (Portugal)

Local: Teatro Rogério Cardoso, na Casa de Cultura Laura Alvim Horário: 19h30.

Sinopse:

Solange espera-nos num cabeleireiro de bairro. Inesperadamente revela ser uma amante de poesia e uma voz politizada. O que há de comum entre ofício de Solange e o do poeta? O fazer brilhar o aqui agora.

Solange encontra nas palavras das mulheres poetisas portuguesas e brasileiras, uma razão para aprofundar o abismo de ser mulher. Solange encontra na poesia dita a energia inaudita da palavra em busca do seu destinatário. Um salão passado a pente fino…

Ficha técnica:

Direção: Hugo Cruz Criação Hugo Cruz e Susana Madeira

Texto: Regina Guimarães Excertos de textos Cecília Meireles, Adélia Prado Elenco: Susana Madeira

Texto: Regina Guimarães com excertos de textos Cecília Meireles e Adélia Prado. Música: Elza Soares

Figurino:     Lola      Sousa Desenho de luz: Wilma Moutinho Fotografia e vídeo: Patrícia Poção

Produção: Nómada, Art & Public Space

Espetáculo KIWI, Projeto Grande Elenco (Brasil) Local: SESI Centro. Horário: 19h30

Sinopse: Às vésperas dos Jogos Olímpicos, a polícia faz sua limpeza social. Uma garota, abandonada por sua família, é acolhida por jovens que lutam pela sobrevivência nas ruas. Ela é batizada Kiwi e terá uma dura trajetória até a esperança de uma vida melhor em um mundo que parece não ter lugar para ela e seus amigos. Texto narrativo do premiado autor canadense Daniel Danis, com direção e tradução de Lucianno Maza. Espetáculo ganhador do Prêmio Aplauso Brasil e indicado ao Prêmio Cenym de Teatro e Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (FEMSA / Coca-Cola).

Ficha técnica:

Texto: Daniel Danis

Direção e tradução: Lucianno Maza Elenco: Nathalia Kwast e Lucas Lentini Assistência de direção: Náshara Silveira Trilha sonora: Dr Morris

Figurino:        Anne   Cerutti Cenário e iluminação: Lucianno Maza Arte gráfica: André Kitagawa

Fotos: Arô Ribeiro, Bob Sousa e Leekyung Kim Produção executiva: Berenice Haddad Produção e idealização: Lucianno Maza Realização: Projeto Grande Elenco.

Data: 15 de dezembro – 6ª. Feira

Espetáculo A terceira margem do rio, de Guimarães Rosa Local: Teatro Laura Alvim, na Casa de Cultura Laura Alvim Horário: 20h

Sinopse: Um homem de meia-idade deixa sua família e amigos para viver isolado em uma canoa no meio de um rio, na região central do Brasil, e jamais volta a pisar em terra firme. Seu único contato com as pessoas acontece através de seu filho Liojorge, que lhe deixa comida na margem do rio. Os anos se passam e a filha Rosário casa com um rapaz da região e vai morar na cidade. O filho também casa, mas decide permanecer com a mãe e continuar levando diariamente a comida para o pai invisível. Quando nasce Nhinhinha, a filha de Liojorge, e que tem poderes mágicos, o rapaz resolve levá-la até a beira do rio para apresentá-la ao pai.

Ficha técnica:

Direção: Paulo de Moraes Texto: Guimarães Rosa

Elenco: 08 (oito) atores, um de cada país da CPLP.

Leonardo Miranda – Brasil; Suelma Mario – Angola, Lisa Reis – Cabo Verde, Horácio Guiamba –Moçambique; Susana Vitorino – Portugal; Willian Ntchalá – Guiné Bissau; Joi Bonfim – São Tomé e Príncipe e Carvarino Carvalho – Timor Leste

Música: Ricco Viana Iluminação: Valmyr Ferreira

Produção e idealização: Tânia Pires Realização: Talu Produções

Espetáculo Solange – Uma conversa de cabelereiro, da Cia. Nómada Art & Public Space (Portugal)

Local: Teatro Rogério Cardoso, na Casa de Cultura Laura Alvim. Horário: 19h30

Sinopse:

Solange espera-nos num cabeleireiro de bairro. Inesperadamente revela ser uma amante de poesia e uma voz politizada. O que há de comum entre ofício de Solange e o do poeta? O fazer brilhar o aqui agora.

Solange encontra nas palavras das mulheres poetisas portuguesas e brasileiras, uma razão para aprofundar o abismo de ser mulher. Solange encontra na poesia dita a energia inaudita da palavra em busca do seu destinatário. Um salão passado a pente fino…

Ficha técnica:

Direção: Hugo Cruz Criação Hugo Cruz e Susana Madeira

Texto: Regina Guimarães Excertos de textos Cecília Meireles, Adélia Prado Elenco: Susana Madeira

Texto: Regina Guimarães com excertos de textos Cecília Meireles e Adélia Prado. Música: Elza Soares

Figurino:     Lola      Sousa Desenho de luz: Wilma Moutinho Fotografia e vídeo: Patrícia Poção

Produção: Nómada, Art & Public Space 

Espetáculo KIWI, Projeto Grande Elenco (Brasil) Local: SESI Centro. Horário: 19h30

Sinopse: Às vésperas dos Jogos Olímpicos, a polícia faz sua limpeza social. Uma garota, abandonada por sua família, é acolhida por jovens que lutam pela sobrevivência nas ruas. Ela é batizada Kiwi e terá uma dura trajetória até a esperança de uma vida melhor em um mundo que parece não ter lugar para ela e seus amigos. Texto narrativo do premiado autor canadense Daniel Danis, com direção e tradução de Lucianno Maza. Espetáculo ganhador do Prêmio Aplauso Brasil e indicado ao Prêmio Cenym de Teatro e Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (FEMSA / Coca-Cola).

Ficha técnica:

Texto: Daniel Danis – Direção e Tradução:  Lucianno Maza     –        Elenco: Nathalia Kwast e Lucas Lentini     –       Assistência de direção: Náshara Silveira  – Trilha sonora: Dr Morris

Figurino: Anne Cerutti Cenário e iluminação: Lucianno Maza Arte gráfica: André Kitagawa

Fotos: Arô Ribeiro, Bob Sousa e Leekyung Kim Produção executiva: Berenice Haddad Produção e idealização: Lucianno Maza Realização: Projeto Grande Elenco

Data: 16 de dezembro – Sábado

DEBATE “No palco: conexão virtual da Língua Portuguesa em oito sotaques”

Os 08 (oito) atores de nacionalidades diferentes, que integram o projeto inédito de uma montagem via tecnologia virtual do Espetáculo Teatral “A Terceira Margem do Rio”, dirigido pelo encenador brasileiro Paulo de Moraes, baterão um papo aberto ao público, para falar dessa experiência da arte, através da conectividade. A Diretora Artística do FESTLIP, Tânia Pires, mediará esse encontro que o FESTLIP promove em sua 9ª Edição. Mediação: Tânia Pires.

Local: Teatro Laura Alvim, na Casa de Cultura Laura Alvim Horário: 16h às 18h

Mediação: Tânia Pires

Os oito atores de nacionalidades diferentes, que integram o projeto inédito de uma montagem via tecnologia virtual do espetáculo teatral A terceira margem do rio, dirigido pelo encenador brasileiro Paulo de Moraes, baterão um papo aberto ao público, para falar dessa experiência da arte, através da conectividade.

EXPOSIÇÃO “A Vida Conectada Com a Poesia” Local: Casa de Cultura Laura Alvim. Horário: 18 às 20h

A exposição de poesia viva ao alcance da mão é a ligação direta do público, com estátuas humanas que, com uma simples conexão, interpretarão poesias dos 08 (oito) países que possuem o português como língua oficial. a exposição “A VIDA CONECTADA COM A POESIA” que fará parte da programação do FESTLIP deste ano, é só escolher uma ficha com o nome do país, que uma ESTÁTUA TOMA VIDA e recita a poesia especialmente para você. Não dá para perder essa forma lúdica e interativa de alegrar seu sábado de verão, depois da praia, com muita poesia.

Espetáculo A Terceira Margem Do Rio, de Guimarães Rosa

Local: Teatro Laura Alvim, na Casa de Cultura Laura Alvim. Horário: 20h

Sinopse: Um homem de meia-idade deixa sua família e amigos para viver isolado em uma canoa no meio de um rio, na região central do Brasil, e jamais volta a pisar em terra firme. Seu único contato com as pessoas acontece através de seu filho Liojorge, que lhe deixa comida na margem do rio. Os anos se passam e a filha Rosário casa com um rapaz da região e vai morar na cidade. O filho também casa, mas decide permanecer com a mãe e continuar levando diariamente a comida para o pai invisível. Quando nasce Nhinhinha, a filha de Liojorge, e que tem poderes mágicos, o rapaz resolve levá-la até a beira do rio para apresentá-la ao pai.

Ficha técnica:

Direção: Paulo de Moraes Texto: Guimarães Rosa

Elenco: oito atores, um de cada país da CPLP: Leonardo Miranda – Brasil; Suelma Mario – Angola, Lisa Reis – Cabo Verde, Horácio Guiamba –Moçambique; Susana Vitorino – Portugal; Willian Ntchalá – Guiné Bissau; Joi Bonfim – São Tomé e Príncipe e Carvarino Carvalho – Timor Leste

Música: Ricco Viana Iluminação: Valmyr Ferreira

Produção e idealização: Tânia Pires Realização: Talu Produções

FESTLIPshow + Festa DISRITMIA

FESTLIPshow, em parceria com a festa DISRITMIA, que é difusão da música brasileira sem aprisionamentos; difunde a vanguarda que relê a velha guarda e se inventa. Conecta sul e norte, brega e cult. Disritmia é música para balançar. E de tanto ritmo, tanta cadência, tanto suingue brasileiro, é preciso estar atento, ou se deixar levar: seu coração pode entrar em disritmia.

Comandada pela DJ Lili Prohmann, a festa se notabilizou por abrir mão dos clássicos de sempre para dar vez ao lado B da música brasileira, resgatando músicas dançantes de artistas consagrados ou menos conhecidos, que dão forma a um repertório inusitado de vários cantos e ritmos do país. Esse ano, o convidado de Lili Prohmann será o DJ e Produtor Musical angolano Joss Dee.

Através da sua musicalidade repleta de africanidade de Joss Dee apresenta uma experiência musical diferente da habitual nas noites brasileiras com estilos musicais africanos como Kuduro, Afro-House, Semba, Kizomba e Naija-Dance Hall que fazem parte do seu promovendo intercâmbio musical. Local: Casa de Cultura Laura Alvim Horário: 22h

Data: 01 de dezembro – Domingo

FESTLIPinho – Oficina Infantil Jogos e Viagens Pelos Países de Língua Portuguesa Local: Teatro Laura Alvim, na Casa de Cultura Laura Alvim. Horário: 15h às 17h.

Trata-se de uma divertida oficina com brincadeiras populares de países de língua portuguesa e tradição oral. Através de atividades coletivas os participantes seguirão um percurso passando por cinco jogos oriundos de Portugal, Angola, Cabo Verde, Brasil, Moçambique e duas histórias afro-brasileiras. A oficina termina com a confecção de um brinquedo popular brasileiro. Este é um projeto artístico e educativo que reúne contos e brincadeiras populares para mostrar a diversidade das culturas de língua portuguesa e suas manifestações em nosso imaginário.

Espetáculo A Terceira Margem Do Rio,, de Guimarães Rosa Local: Teatro Laura Alvim, na Casa de Cultura Laura Alvim Horário: 20h.

Sinopse: Um homem de meia-idade deixa sua família e amigos para viver isolado em uma canoa no meio de um rio, na região central do Brasil, e jamais volta a pisar em terra firme. Seu único contato com as pessoas acontece através de seu filho Liojorge, que lhe deixa comida na margem do rio. Os anos se passam e a filha Rosário casa com um rapaz da região e vai morar na cidade. O filho também casa, mas decide permanecer com a mãe e continuar levando diariamente a comida para o pai invisível. Quando nasce Nhinhinha, a filha de Liojorge, e que tem poderes mágicos, o rapaz resolve levá-la até a beira do rio para apresentá-la ao pai.

Ficha técnica:

Direção: Paulo de Moraes Texto: Guimarães Rosa

Elenco: 08 (oito) atores, um de cada país da CPLP.

Leonardo Miranda – Brasil; Suelma Mario – Angola, Lisa Reis – Cabo Verde, Horácio Guiamba –Moçambique; Susana Vitorino – Portugal; Willian Ntchalá – Guiné Bissau; Joi Bonfim – São Tomé e Príncipe e Carvarino Carvalho – Timor Leste

Música: Ricco Viana Iluminação: Valmyr Ferreira

Produção e idealização: Tânia Pires Realização: Talu Produções

De 14 a 23 de dezembro – durante todo o FESTIVAL

FESTGourmet Conexão do Paladares Local: Restaurante Zazá Bistrô Horário: 19h às 0h30.

Criada pelo chef Juarez França, a Conexão dos Paladares é a recriação de um prato e uma sobremesa tradicionais do Brasil com temperos típicos dos oito países participantes. A estrela do menu é a Feijoada Além Mar, uma versão do famoso prato que ganha sabores inusitados ao levar temperos de cada uma das nações lusófonas. Para a sobremesa, o pudim de leite e tapioca com calda de especiarias destas regiões fecha o menu do festival.

Mais informações nos websites: www.festlip.comm www.talu.com.br

Informações para a imprensa:

Factoria Comunicação

Vanessa Cardoso ([email protected]) – Tel. (21) 98235-8685

Leila Grimming ([email protected]) Tel. (21) 2249.1598 / 2259.0408