novo

CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe Montagem da Mundana Companhia para Texto de Brecht


Indicada ao Prêmio Shell de Teatro de São Paulo na categoria Inovação, Na Selva das Cidades – Em Obras terá temporada com apresentações gratuitas

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, a partir de 11 de agosto (sexta-feira), às 19h, a montagem de Na Selva das Cidades – Em Obras, com a mundana companhia. Escrito em 1927 pelo dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956), o texto Na Selva das Cidades continua atual, quase um século depois, ao alinhar exclusão social aos poderes da vida em sociedade. Em cartaz até o dia 26 de agosto, a temporada conta com apresentações gratuitas nas terças, quartas e sextas, às 19h, e sábados e domingos, às 18h.

Dirigido por Cibele Forjaz, Na Selva das Cidades – Em Obras foi indicada na categoria Inovação para o Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, no primeiro semestre de 2017, e narra a luta entre dois homens numa metrópole americana. Nas extremidades desta luta, encontramos dois tipos opostos: um rico comerciante de madeiras malaio versus um pobre balconista que migrou com sua família do campo para a cidade grande. No enredo, não ficam claros os motivos que levam os dois homens ao embate, porém, tudo (família, amores, parceiros, amigos, justiça, polícia e negócios) em torno deles vai sendo envolvido até que a narrativa acaba por englobar toda a cidade.

Interessa aos criadores a transitoriedade: a cada nova ocupação, tudo se transforma em função da relação com o espaço ocupado, sua história, economia, política e as várias relações sociais implicadas no trabalho, a cada momento. Desta forma, o cenário propõe sempre uma nova intervenção, com novas configurações de luz, vídeo, figurinos e objetos de cena. O trabalho dos atores também não tem marcas fixas, mas regras que determinam a movimentação e o desenho da cena. “Tem um jogo entre o teatro e a antropologia urbana. A imersão por São Paulo durante a pesquisa de linguagem nos deu um eixo. Cada nova paragem da peça nos exige um estudo de campo, colocando uma lente de aumento nas questões e contradições do lugar”, explica a diretora Cibele Forjaz.

À direção soma-se sempre uma equipe propositiva, isto é, componentes do grupo assumem uma espécie de curadoria. No Rio, Aury Porto, Cibele Forjaz e Luiza Lemmertz assumem a função. Eles determinarão os rumos que a peça tomará a partir de um storyboard criado em conjunto com, por exemplo, artistas da cenografia e figurino.

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro é a primeira parada da peça fora de São Paulo desde a sua estreia, e os cariocas terão a oportunidade de assistir a uma montagem especialmente criada para o Teatro de Arena do espaço. “Nesta ocupação pegaremos toda nossa experiência direta com a cidade e colocaremos no ambiente artificial de um teatro de arena. O cenário será composto de um platô em forma de octógono que nos remete às lutas de MMA e  de alguns aparelhos de TV que contêm informações sobre cada quadro da peça. Nesta versão daremos ênfase especial ao desafio inicial que detona a luta dentro do texto de Brecht: ‘Quanto custa sua opinião?’”, contextualiza Aury Porto, fundador da mundana companhia com Luah Guimarãez.

A pesquisa para a montagem da peça ainda resultou em um livro distribuído gratuitamente para escolas e instituições de teatro de todo o país. A temporada do espetáculo no Rio tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.

A mundana companhia:

Inspirados pela militância política dos artistas de teatro da cidade de São Paulo junto ao movimento Arte contra a Barbárie, Aury Porto e Luah Guimarãez fundaram a companhia no ano 2000. A partir daí, a cada projeto o grupo teria um novo corpo que daria vazão às ideias de continuidade e transitoriedade que seriam sua marca.

Apesar de elaborado desde a virada do século, o primeiro trabalho do núcleo artístico só foi realizado muitos anos depois, com a montagem A queda (2007), adaptação do romance de Albert Camus. Seguiram-se, ainda, os projetos Das Cinzas (2009), com texto de Samuel Beckett; O Idiota – uma novela teatral (2010), realizado a partir da obra homônima de Fiódor Dostoiévsky; Tchekhov 4 – Uma Experiência Cênica (2010), primeiro trabalho do diretor russo Adolf Shapiro com atores brasileiros, montado por ocasião do centenário de Anton Tchekhov; Pais e filhos (2012), adaptação do romance homônimo de Ivan Turguêniev também dirigida por Adolf Shapiro; e O Duelo (2013), criado a partir da novela de Tchekhov e a temporada anterior da mundana companhia no Rio de Janeiro, em 2014.

A mundana companhia se estabelece como uma das principais realizadoras de teatro contemporâneo do Brasil.

Ficha técnica:
Equipe propositora da Ocupação: Aury Porto, Cibele Forjaz e Luiza Lemmertz

Elenco: Aury Porto, Guilherme Calzavara, João Bresser, Luah Guimarãez, Luiza Lemmertz, Mariano Mattos Martins, Sylvia Prado, Vinícius Meloni e Washington Luiz Gonzales

Texto: Bertolt Brecht

Tradução: Christine Röhrig

Direção/Treinamento Cênico: Cibele Forjaz

Assistente de Direção: Gabriel Máximo

Direção de Cena: Renato Banti

Treinamento Corporal: Lu Favoreto

Treinamento Vocal Interpretativo: Lucia Gayotto

Arte/Cenografia: Flora Belotti

Assistente de Arte/Cenografia: Júlia Reis

Figurinos: Diogo Costa, Joana Porto e Rogério Pinto

Camareiro: Rogério Pinto

Luz: Alessandra Domingues

Assistência/Operação de Luz: Laiza Menegassi

Criação Musical: Guilherme Calzavara

Músico: Marcelo Castilha

Videos: Yghor Boy

Fotos: Renato Mangolin e Yghor Boy

Programação Visual: Mariano Mattos Martins

Assessoria de imprensa: Mônica Riani

Manutenção do Site: Yghor Boy

Idealização do Projeto/Coordenação de Produção: Aury Porto

Assistente de Produção: Mariana Oliveira e Lucas Cândido

Produção Executiva: Bia Fonseca

Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

Serviço:

Na Selva das Cidades – Em Obras

Entrada Franca (Ingressos distribuídos na bilheteria 1h antes de cada apresentação)

Datas: de 11 a 26 de agosto (de terça a domingo, exceto nas quintas-feiras)

Horários: Terças, quartas e sextas-feiras, às 19h; sábados e domingos, às 18h

Duração:150 min

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca) Tel. (21) 3980-3815

Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h

Lotação: 200 lugares (mais 4 para cadeirantes)

Classificação indicativa: 14 anos – Acesso para pessoas com deficiência

Assessoria de Imprensa: Mônica RianiTel. (21) 98898-5575 /2235-5575 [email protected]

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Rio de Janeiro Tel. (21) 3980-3096 | 4097

www.caixacultural.gov.br|@imprensaCAIXA https://www.facebook.com/CaixaCulturalRioDeJaneiro

Fonte: Mateus Vasconcelos [email protected] Em 04/08/2017.